quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Comissão Saúde da População Negra faz roda de conversa sobre anemia falciforme

Aconteceu no dia 05 de agosto, após a reunião da Rede de Comunidades Saudáveis, a reunião da Comissão de Saúde da População Negra da RCS. Durante o encontro, a atual presidente da Associação de Mulheres de Vila Kosmos, Rosinéia Vieira, trouxe informações sobre anemia falciforme - tema escolhido pelo grupo para aprofundamento.


Com maior predominância entre a população afrodescendente, a anemia falciforme - doença hereditária que causa alteração dos glóbulos vermelhos do sangue tornando-os semelhante a foices (de onde vem o nome da doença) - ainda é pouco conhecida pela população em geral, como fala Rosinéia:


“Quando eu era criança tinha muitas dores, estava sempre no médico e ninguém descobria o que eu tinha. Muitos diziam que era reumatismo. Aos 26 anos fiquei sem enxergar por três meses, então descobriram que tinha anemia falciforme”.


Rosinéia voltou a enxergar, mas a mesma sorte não tiveram suas duas filhas, que morreram devido a complicações ocasionadas pela doença. Vice-presidente da Associação de Vila Kosmos, Ieda Barbosa também tem a anemia falciforme e conta que as dores são terríveis: “Sinto o corpo inteiro doer. Muita dor muscular e nos ossos. A dor é tão insuportável que chego, às vezes, a desmaiar”.


Se diagnosticada a tempo, a anemia falciforme é tratável, mas o despreparo das equipes médicas foi apontado pelos participantes da reunião como um dos grandes problemas a serem enfrentados. A liderança Maria da Glória Silva lembrou que um dos encaminhamentos da Conferência Estadual da Igualdade Racial, que aconteceu de 31 de julho a 1 de agosto, foi que o Sistema Público de Saúde tivesse profissionais capacitados para lidarem com a doença.


A técnica do CEDAPS Carla Maciel lembrou que agora é necessário controle social para se fazer cumprir a deliberação da conferência: “Já que já temos esse encaminhamento, agora é necessário acompanharmos para ver se está sendo colocado em prática”.


Durante a reunião, representantes de onze organizações comunitárias puderam tirar diversas dúvidas sobre anemia falciforme. Ao final do encontro, os participantes decidiram continuar o debate na próxima reunião, que acontecerá novamente após a reunião da Rede e terá como tema “Anemia falciforme e outras doenças com maior prevalência na população afrodescendente”.


Para saber mais

Manual da Anemia Falciforme para População

Um comentário:

Liza Luiza Luz disse...

A Comissão ta bombando!!!! rsrsrsr